Ar-condicionado, conforto sem desperdício!

Ar-condicionado, conforto sem desperdício!

Por Vitor Reis e João Ricardo. 10 de Novembro de 2017.

Já é possível ter um ar-condicionado sem tomar um susto toda vez que receber a conta de energia elétrica.

Embora o ar-condicionado seja o maior consumidor de energia residencial, tê-lo dentro de casa em épocas de calor pode deixar o ambiente mais agradável. Em contraste, quando se trata de ambientes onde há um maior número de pessoas o seu uso torna-se indispensável, ele é necessário assegurar a qualidade do ar para evitar danos à saúde. Portanto, é muito importante selecionar corretamente o aparelho, além de preparar e planejar o local para a sua instalação.

Pensando na economia, conforto e saúde a CIAELETRICA pontua cinco temas relevantes para o planejamento e dimensionamento do sistema de climatização.

1- Análise do local a ser climatizado e seleção do aparelho de ar-condicionado

O espaço no qual o ar-condicionado irá trabalhar deve ser estudado em função de sua área, incidência de luz, quantidade de equipamentos geradores de calor e de pessoas que circulam pelo ambiente. Assim é possível saber qual será a quantidade de energia necessária para condicionar o ambiente, está media é dimensionada em BTU (i.e., unidade não métrica utilizada para quantizar o calor para elevar uma libra de água à um grau Fahrenheit, equivalente a 252,2 calorias no SI). Caso o aparelho selecionado tenha uma capacidade maior que a requerida, uma energia desnecessária será consumida e consequentemente desperdiçada. Vale lembrar que a escolha de aparelhos que tenham melhor índice de eficiência energética também é muito importante. Os modelos com selo A PROCEL de economia de energia são ideais.

A automação é sinônimo de economia, e não poderia ser diferente quando pensamos no ar-condicionado. A tecnologia inverter de automação quando aplicada ao sistema de ar-condicionado, gera uma economia de energia entre 30 e 50%. A tecnologia pode regular o fluxo de energia do sistema, alterando a velocidade de trabalho do compressor, assim o aparelho não precisa utilizar a sua carga total sempre. Essa tecnologia inverter faz com que sistema de ar-condicionado consuma menos energia ao ligar pelo fato do compressor raramente parar, a sua inércia é utilizada para manter um trabalho constante aplicado ao sistema, reduzindo os picos e flutuação de energia. 

Outro ponto positivo que essa tecnologia pode proporcionar é um resfriamento do ambiente mais rápido e um funcionamento mais silencioso devido a rotação constante do compressor.

Fonte: Site Adias

2- Análise do local de instalação dos componentes do ar-condicionado

O equipamento de ar-condicionado é composto por 4 componentes: evaporador, condensador, compressor e válvula de expansão. Portanto, no momento de o conjunto ser instalado cada equipamento deve ser alocado na posição mais adequada para o trabalho. Uma instalação inadequada pode gerar um consumo extra de até 20%.

O equipamento que fica alocado no exterior do ambiente climatizado é denominado de condensador e para otimizar o seu funcionamento deve-se escolher uma posição com boa circulação de ar que não haja incidência da luz solar, também é necessário ter atenção com as saídas de ar do aparelho que não podem ser bloqueadas. 

Já o equipamento que fica no interior do ambiente climatizado é denominado de evaporador e deve ser instalado em uma posição estratégica para que o ar circule da melhor forma possível. Móveis e cortinas, assim como outros objetos, podem servir como barreiras e dificultar a circulação do ar, exigindo mais energia para climatizar o ambiente. Instalar a unidade evaporadora em locais altos contribui para a economia de energia pelo fato de o ar quente tender a subir, enquanto o ar frio, a descer.

3- Uso adequado do aparelho de ar-condicionado

A temperatura agradável para o ser humano gira em torno de 22°C à 24°C. Portanto, deve-se evitar que o aparelho de ar-condicionado trabalhe para deixar o ar em temperaturas inferiores. Um termostato bem regulado é essencial para otimizar o consumo de energia. É importante lembrar de deixar as portas e janelas fechadas, mantendo um bom isolamento do ambiente climatizado. A incidência de raios solares também pode aumentar a demanda por energia. Portanto, cobrir as janelas com cortinas e persianas é muito importante para a economia de energia.

Fonte: Site Brasília concreta

4- Manutenção

A manutenção preventiva é indispensável, pois evita que se formem barreiras no equipamento, como por exemplo, sujeira no filtro de ar que acarreta numa demanda maior de energia para a circulação do ar. O planejamento da manutenção é a melhor forma de deixar o aparelho funcionando sempre nas melhores condições, além de otimizar sua vida útil.

5- Atualização do sistema de ar-condicionado

Vale lembrar que o ar-condicionado-tipo janela é uma tecnologia ultrapassada e pode ter um consumo de 40% maior que os do tipo Split mais modernos. Portanto, é sempre válido estudar a possibilidade de troca do equipamento, pois o valor investido no novo equipamento, vai retornar na forma de economia de energia.